Menu fechado

Por Carla Regina G. R. Santos

Ureterolitíase e obstrução ureteral: um grande desafio na Medicina Felina

Diagnóstico, exames, gatos mais afetados entre outras considerações sobre essa afecção tão comum e perigosa na espécie felina

A presença de urólitos no trato urinário superior é uma afecção cada vez mais comum na rotina clínica da Medicina Felina. A presença de nefrolitíase deve ser cuidadosamente avaliada devido a suas complicações clínicas. O deslocamento de um ou mais cálculos pode levar a obstrução ureteral, condição que necessita de interverção clínica e ou cirúrgica emergencial pelo risco de doença renal irreversível, falência renal ou até mesmo a morte do paciente. Mais da metade dos gatos com nefrolitíase ou ureterolitíase já apresentam algum grau de doença renal crônica. Assim é difícil determinar se a doença renal é causa ou consequência desses cálculos. No entanto, podemos afirmar que a presença de cálculo no trato urinário superior contribui para progressão da doença renal. Em gatos, o cálculo de oxalato de cálcio representa até 98% dos casos, sendo assim o tipo mais frequente é formado no trato urinário superior. Um fator complicador em seu tratamento é que esse tipo de cálculo não pode ser dissolvido por manejo nutricional. Outros urólitos como de urato, xantina e até mesmo de coágulo solidificado já foram descritos em gatos.

Seja bem-vindo(a) leitor(a)!
Ainda não é assinante?

Assine agora e tenha acesso ilimitado a todas as materias de todas as edições da revista Medicina Veterinária em Foco!

Assinar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *